Infecção Urinária em crianças quais sintomas e os sinais

Sintomas e sinas de infecção urinária em crianças

nmfladc-5257045

O que é infecção urinária ?

A infecção urinária é definida pela presença de microorganismos na urina em qualquer 

parte do aparelho urinário. 

A identificação do microorganismo causador da infecção urinária é fundamental para o 

diagnóstico e o tratamento adequado.

Tanto nos meninos como nas meninas, o agente mais comum é a Escherichia coli, 

bactéria da flora intestinal, responsável por 80% a 95% dos casos de infecção urinária

Segue-se, em ordem de freqüência, estafilococo, proteus e klebisiela. Mas o trato 

urinário, também, pode ser atacado por vírus (adenovírus), fungos, bacilo da 

tuberculose.

A principal via de contaminação do trato urinário é a ascendente. A partir da flora 

bacteriana da região perianal, é que se dá a contaminação urinária. Somente em 

infecções generalizadas (septicemia) pode ocorrer que a via sanguínea seja a fonte de 

infecção urinária, mas isto é excepcional.

bokkahz-7728681

O que se sente quando se tem infecção urinária?

Na maioria das vezes, a infecção urinária em crianças apresenta sintomas urinários iguais 

aos dos adultos: ardência, urgência e freqüência urinária aumentada. Mas, em muitos 

casos, podem surgir sintomas diferentes e a criança apresentar-se irrequieta, irritadiça, 

sem fome e emagrecer. Fica com medo de urinar. Algumas vezes, ocorrem sintomas 

digestivos com dor abdominal, náuseas, vômitos, diarreia, febre e até icterícia 

(amarelão). Raramente, a infecção urinária em crianças é sem sintomas, mas quando isto 

acontece o diagnóstico fica mais difícil de ser feito.

Como se faz o diagnóstico de infecção urinária?

Quando as queixas urinárias são sugestivas, a confirmação do diagnóstico de infecção 

urinária se faz pela presença de leucócitos, sangue e bactérias no exame de urina e 

bactérias na urocultura. Para encontrar as bactérias na urina é necessário coletar uma 

urina representativa. Porém, a coleta em crianças menores de 5 anos é difícil de ser 

feita. Cuidados extremos devem ser adotadas para evitar a contaminação que pode 

prejudicar o diagnóstico de infecção urinária.

Há quatro métodos de coleta da urina que podem ser usados com crianças: jato médio, 

saco coletor, sondagem (cateter) e punção suprapúbica.

O jato médio e o saco coletor são de mais fácil contaminação. A sondagem é um método 

invasivo que pode levar bactérias para o interior da bexiga, restando a punção 

suprapúbica como o padrão ouro para a coleta de urina na urocultura em crianças 

menores.

Após os 5-6 anos, a criança já é mais cooperativa e o jato médio passa a ser mais 

utilizado, deixando-se a punção para os casos de dúvida. Colher uma urina confiável é 

fundamental, porque a presença ou ausência de bactérias faz o diagnóstico.

Em crianças, a ecografia do aparelho urinário é obrigatória após o primeiro episódio de 

infecção urinária. Com esse exame, procura-se afastar os fatores predisponentes 

congênitos e adquiridos e, principalmente, os obstrutivos. É importante que se determine 

se há malformações e alterações da estrutura funcional do aparelho urinário. Para isso, 

deve-se realizar os estudos necessários, sejam eles radiológicos, ecográficos e/ou 

cintilográficos.

Em 30-45% das crianças com pielonefrite, foi encontrado refluxo vésico ureteral devido a 

algum defeito congênito ou adquirido, que resulta em uma válvula uretero-vesical, 

incapaz de impedir o refluxo da urina da bexiga para o rim.

Além do exame de urina, há outros?

Pode ser que o médico peça outros exames. Existem algumas alterações no trato urinário 

que podem facilitar a ocorrência de infecções urinárias, e um deles é o refluxo vésico-

ureteral, situação em que a urina da bexiga volta para o ureter, podendo chegar até os 

rins. Os exames extras servem para verificar se há algum problema desse tipo. 

Entre os exames que podem ser pedidos estão o ultra-som e uma série de radiografias 

para detectar o refluxo, como a uretrocistografia miccional e a urografia excretora. O 

objetivo é detectar possíveis alterações do trato urinário que estejam permitindo as 

infecções urinárias de repetição. 

Como se trata a infecção urinária?

infecção urinária nas crianças deve ser tratada precoce e intensamente visando à 

erradicação do processo infeccioso. Quanto mais precoce, menos cicatrizes e defeitos 

estruturais vão ocorrer.

Além do tratamento por antibióticos, a ingestão de líquidos deve ser abundante, 

cuidando que as micções sejam sempre as mais completas possíveis. Geralmente, o 

tratamento é feito em casa, mas crianças debilitadas e com outros problemas médicos 

devem ser hospitalizadas para tratamento. Na infecção repetitiva e/ou com malformação 

estrutural, principalmente as crianças com refluxo vésico ureteral, pode ser necessário 

tratamentos com medicação antiinfecciosa por longos períodos.

Em relação aos meninos, a literatura médica mostra que os não circuncidados 

apresentam maior probabilidade de infecção urinária, (10 a 20 vezes mais). Isso não é 

uma indicação generalizada, mas deve ser discutida com o seu médico pediatra, 

principalmente se o menino já teve alguma infecção urinária e não apresenta outras 

alterações anatômicas.

Evolução

As infecções urinárias não complicadas têm uma evolução boa. As dificuldades de 

tratamento e evolução ocorrem mais nas infecções urinárias complicadas por fatores 

obstrutivos, doenças neurológicas (bexiga neurogênica) e no refluxo vésico ureteral.

Numa revisão de crianças que tiveram infecção urinária, 27 anos após a infecção 

urinária23% delas eram hipertensas, 10% tinham insuficiência renal crônica, 7% eram 

transplantadas e 3% estavam em diálise. Portanto, 43% das crianças evoluíram com uma 

ou mais alterações renais importantes.

Devido aos problemas futuros, deve-se fazer o diagnóstico precoce e tratamento 

adequado em todos os casos de infecção urinária em crianças

Glossário

septicemia: infecção generalizada, provocada por microorganismos.

icterícia: coloração amarela do corpo devido à presença anormal de bilirrubinas.

vesical: referente à bexiga.

suprapúbica: região acima do púbis.

cintilografia: exame de imagem que permite ver um tecido ou órgão, na presença de 

uma substância radioativa.

Perguntas que você pode fazer ao  médico

Como devo observar a criança, para perceber que ela tem infecção urinária?

Como evitar as complicações futuras?

Devemos procurar sempre malformações?

Então pessoal, o que acharam do post??

Já tiveram ou conhecem quem teve esse problema??

Confira outras postagens sobre a saúde da criança AQUI 

Informações e imagens retiradas da internet

17 Comments

  1. Unknown 21 de agosto de 2015
  2. QUALIDADE DE VIDA 21 de agosto de 2015
  3. Karina Padilha 21 de agosto de 2015
  4. Commaosdeseda By Midian.L.S.F 21 de agosto de 2015
  5. Unknown 21 de agosto de 2015
  6. Unknown 21 de agosto de 2015
  7. Minda Silva 21 de agosto de 2015
  8. Unknown 22 de agosto de 2015
  9. melaine negreli 22 de agosto de 2015
  10. Olivia Quartieri 22 de agosto de 2015
  11. Cibele Lima 23 de agosto de 2015
  12. Taths Rodrigues 23 de agosto de 2015
  13. Prosa Amiga 23 de agosto de 2015
  14. Unknown 23 de agosto de 2015
  15. www.maesemfronteiras.com.br 24 de agosto de 2015
  16. Unknown 24 de agosto de 2015
  17. Aline Motta 29 de agosto de 2015

Add Comment